Quanto mais você pensa mais você come

Você deve estar se perguntando: como assim “quanto mais você pensa mais você come?”. Mas é isso mesmo!

Um estudo realizado na Universidade Laval, no Canadá, revelou que a atividade intelectual provoca alterações nos níveis de glicose muito mais constantes que nos momentos de repouso mental. Logo, se há mudanças nos hormônios ligados ao apetite, o comportamento alimentar também se altera.

A pesquisa feita na universidade canadense funcionou em três etapas: primeiro, os voluntários descansaram, depois, fizeram um trabalho de leitura e resumo de documentos e, por fim, fizeram um teste de memória.

Pensar causa fome

Pensar causa fome

No fim de cada estágio, os voluntários eram convidados a comer o que queriam em um bufê. Ali, foi constatado que eles ingeriam cada vez mais calorias.

Agora você deve estar lembrando daquela fome que bate depois de um dia estressante de trabalho ou depois de uma noite cansativa de estudos. E não é que faz sentido?

Mas, então? O que fazer? O autor da pesquisa, Jean-Philippe Chaput, nos tranquiliza. Segundo ele, claro, não é preciso parar de pensar. Uma sessão de exercícios físicos é o suficiente para equilibrar os hormônios que regulam a fome.

Portanto, se a sua mente está cansada, vale a pena cansar um pouco o corpo para equilibrar as coisas.

Por Mila Silva nas categorias Saúde. Tags: , , , , , , , , ,

Relacionados

Deixe seu comentário sobre "Quanto mais você pensa mais você come"