Mel no combate de doenças gastrointestinais

Você consome mel? Se ainda não, saiba que está perdendo diversos benefícios que este alimento oferece para sua saúde.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ele possui mais de 70 substâncias essenciais ao organismo, como água, frutose, sacarose, glicose (carboidratos), potássio, ferro, sódio, fósforo, zinco, cloro, cálcio, magnésio, vitaminas do complexo B, vitaminas A, E, C e alguns tipos de aminoácidos (proteínas).

O mel é um alimento de alta qualidade e energético, com ação imunológica, analgésica, antibactericida, anti-inflamatória e que funciona como laxante natural.

Mel

Mel

Para usufruir de todos os benefícios do mel, basta ingerir duas colheres de sobremesa, ao dia. As crianças a partir de um ano podem consumir o alimento sem risco de alergia. O cuidado fica por conta dos diabéticos, já que o mel é fonte de carboidratos simples e de alto índice glicêmico, correndo o risco de descontrolar as taxas de açúcar no sangue.

No entanto, ele é mais bem aceito pelo organismo do que o açúcar branco, fonte de calorias vazias e que não oferece nenhum nutriente ao organismo, além da glicose. Isso porque 40% da composição do mel é frutose, o açúcar natural das frutas, bem menos prejudicial.

O mel tem uma função pré-biótica, que melhora o funcionamento do intestino e a absorção de nutrientes.

A aplicação do mel, por sinal, é muito indicada na assimilação dos alimentos e na prevenção e nos tratamentos de desordens gastrointestinais, tais como úlceras, gastrites e gastroenterites.

Por Patricia nas categorias Nutrição. Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Relacionados

Deixe seu comentário sobre "Mel no combate de doenças gastrointestinais"