Como interpretar a pirâmide alimentar?

Você certamente já ouviu falar da pirâmide alimentar. Nela, podemos visualizar, de maneira mais clara, a quantidade de determinados tipos de alimentos que devemos ingerir diariamente. Se observarmos a pirâmide, imagem acima, notaremos que ela tem a base bem larga e a ponta mais fina. Então, na base estão os alimentos que devem se consumidos em maior quantidade. Daí por diante, cada nível representa uma nova categoria alimentar, sempre reduzindo a quantidade até chegar ao topo. De cima para baixo, esses grupos são conhecidos como: energéticos, reguladores, construtores e energéticos extras. Vamos entender cada um deles.

1. Alimentos Energéticos

Os energéticos são os alimentos ricos em carboidratos, capazes de garantir ao nosso organismo a energia necessária para realização de todas as suas funções. Alguns exemplos são: massas, pães, arros e batata. Na visão de muita gente, esses alimentos são vilões, mas, na verdade, eles são essenciais. O problema é a quantidade. Se exageramos, os carboidratos viram depósitos de gorduras. Uma boa maneira de evitar os prejuízos trazidos por esse grupo é investir nos carboidratos complexos, como cereais e farinhas integrais.

2. Alimentos Reguladores

No segundo nível estão os alimentos reguladores, representados pelas frutas e verduras. Eles são importantíssimos, pois oferecem diversos tipos de vitaminas, sais minerais, fibras e antioxidantes. Os reguladores ajudam manter a boa saúde do organismo e a nutrição celular adequada. As quantidades indicadas por dia são de 3 a 5 porções diárias de frutas e 4 a 5 porções diárias de hortaliças e verduras.Pirâmide Alimentar

3. Alimentos Construtores

No grupo dos construtores estão os alimentos que são fonte de proteínas, com o leite, as carnes, os ovos e as leguminosas (feijão, ervilha e lentilha). A principal função dos construtores é atuar na construção e regeneração dos tecidos do corpo ao longo da vida. Eles aparecem no terceiro nível porque são muito importantes, mas não devem ser consumidos em grandes quantidades. Para evitar o acúmulo de gorduras, é essencial optar pelas proteínas magras ou desnatadas.

4. Energéticos Extras

No topo da pirâmide estão os energéticos extras, chamados comumente de “porcarias”. É onde encontramos os doces, salgadinhos, sorvete, tortas e frituras. Eles aparecem na pirâmide para que fique claro que não são proibidos. Porém, precisamos tomar cuidado e não exagerar nesse tipo de alimentação. Uma porção semanal é mais que o suficiente para suprir as necessidades do corpo sem trazer malefícios para a saúde.

 

 

Por Mila Silva nas categorias Nutrição. Tags: , , , , , , , , , , , ,

Relacionados

Deixe seu comentário sobre "Como interpretar a pirâmide alimentar?"